Fale conosco | (61) 3563-7690 e (61) 98445-9090 (ligue no móvel durante quarentena)

Maneiras de manter sua empresa viva durante a quarentena covid-19

Homeagencia de marketing digital brasiliaManeiras de manter sua empresa viva durante a quarentena covid-19
No nosso primeiro texto sobre manter sua empresa viva durante a quarentena da pandemia covid-19 exploramos muitas soluções e estratégias de marketing digital. Nesse vamos abordar alguns pontos mais administrativos e táticos, sem esquecer é claro das ferramentas de marketing digital!

No nosso primeiro texto sobre manter sua empresa viva durante a quarentena da pandemia covid-19 exploramos muitas soluções e estratégias de marketing digital. Nesse vamos abordar alguns pontos mais administrativos e táticos, sem esquecer é claro das ferramentas de marketing digital!

Há algumas maneiras de melhorar seu negócio para minimizar os efeitos da crise até o fim da pandemia do coronavírus. Ao mesmo tempo em que o isolamento social alivia o sistema de saúde, cria instabilidade para o cenário econômico. Além dos impactos atuais, é certo que a crise irá gerar prejuízos que serão observados a longo prazo. Enquanto a pandemia não chega ao fim, o melhor a se fazer é tomar medidas para que a empresa possa sobreviver em plena crise. Lembre-se isso está ocorrendo globalmente, saiba que centenas de milhares de empresários pelo mundo estão passando pela mesma situação que você!

Há algumas maneiras de melhorar seu negócio para minimizar os efeitos da crise até o fim da pandemia do coronavírus. Ao mesmo tempo em que o isolamento social alivia o sistema de saúde, cria instabilidade para o cenário econômico.

O portal Entrepreneur listou oito formas de manter os negócios vivos durante a pandemia da Covid-19. Confira:

1 Encontre leads e novos clientes

Manter os clientes durante este período é importante, mas há também espaço para a captação de novos. Aproveite o momento para construir uma nova rede de contatos e reúna esforços para gerar novos leads. Isso fará com que você forme um grupo de clientes com o qual possa contar após o fim da pandemia e ainda se posicione à frente dos concorrentes.

2 Adapte seus serviços à situação atual

Além de adotar o esquema de home office com os funcionários, a pandemia do novo coronavírus demanda criatividade e inovação. Se sua empresa trabalha com o modelo B2C, provavelmente está encarando diversas dificuldades. Reúna sua equipe e faça um brainstorm para coletar ideias de como solucionar os problemas atuais.

Por exemplo: alguns restaurantes estão investindo nos sistemas de delivery, vouchers de desconto, assinaturas semanais ou mensais. Esses incentivos ao consumo fazem com que sua empresa se destaque e tenha recursos para sobreviver.

3 Invista em ações de marketing tendo a epidemia em mente

Um dos papéis dos empreendedores nesta crise é o de ajudar seus clientes na medida do possível. Direcione suas ações de marketing para divulgar produtos e serviços que sejam úteis, principalmente se tiverem sido projetados para os momentos de pandemia. Garanta que seu público-alvo saiba que seus negócios continuam operando.

4 Certifique-se de que seus serviços serão úteis mesmo ao final da crise

Uma coisa é certa: no fim da pandemia, os hábitos dos clientes terão mudado. Não espere o final da crise para se certificar de que sua empresa tem uma estratégia consolidada. É provável que práticas como compra online se consolidem mesmo após o fim das medidas de isolamento social.

As fintechs, que oferecerem soluções automatizadas, ganharão a confiança dos consumidores pelas experiências que tiveram durante o tempo em que ficaram em quarentena. Vem daí a importância de ser flexível com seus serviços. Garanta que sua empresa ofereça soluções úteis não só durante o surto, mas também para o momento em que tudo voltar ao normal.

5 Identifique quais desafios seu negócio está encarando

Para estabelecer estratégias eficazes, é essencial que você saiba quais dificuldades estão sendo enfrentadas durante o surto do novo coronavírus. Considere todos os problemas pelos quais sua empresa pode passar: desde a interrupção das cadeias de suprimentos até dificuldades na comunicação.

6 Faça seu planejamento com base em diferentes cenários

Do mais otimista ao mais pessimista, tente estar preparado para o que der e vier. Desenvolva soluções para os desafios listados no item anterior e faça diversas simulações com os mais diferentes cenários possíveis. Assim, você evita que surjam mais surpresas que possam prejudicar o negócio ao longo do caminho.

7 Crie soluções alternativas para manter suas operações diárias

Alguns compromissos como viagens e reuniões obviamente tiveram que ser adiados ou até mesmo cancelados por conta da Covid-19. Utilize a tecnologia a seu favor. Se você estava programando viajar com um cliente em potencial ou até mesmo receber uma visita em seu escritório, experimente fazer uma ligação por vídeo. Caso o objetivo seja mostrar suas instalações, envie imagens e vídeos do espaço.

8 Implemente soluções tecnológicas para garantir uma comunicação eficiente

Aposte nas plataformas online para manter o contato com seu time. O Google Docs, por exemplo, permite que documentos sejam escritos em colaboração e compartilhados entre todos. Procure meios de realizar as reuniões importantes também. Garanta que seus funcionários estejam habituados a essas ferramentas caso a situação se estenda durante muito tempo.

 

O essencial é procurar manter clientes e funcionários seguros em relação aos negócios e empregos. Esse guia possui perguntas que orbitam uma questão central: “O que acontecerá com a minha empresa?”. Confira:

No nosso primeiro texto sobre manter sua empresa viva durante a quarentena da pandemia covid-19 exploramos muitas soluções e estratégias de marketing digital. Nesse vamos abordar alguns pontos mais administrativos e táticos, sem esquecer é claro das ferramentas de marketing digital!

Aproveitando o momento, que tal um rápido manual de sobrevivência a ser seguido por startups e pequenos negócios para lidar com a crise da Covid-19. Infelizmente os impactos (no mundo) do coronavírus nos negócios será tão grande que irá mudar a forma como compramos, viajamos e trabalhamos durante um longo período.

1° Quais são meus gastos?

Primeiramente é importante que seja feito um balanço dos gastos mensais da empresa. Coloque na ponta do lápis os gastos fixos, como aluguel, e os variáveis, como salários e comissões. Ao final, se sua receita for positiva, significa que você gasta menos do que recebe. Já se o seu saldo for negativo, isso quer dizer que você está tendo prejuízo.

Esse exercício serve em grande parte para que você consiga calcular o tempo que sua empresa tem até o dinheiro acabar.

2° Como está meu modelo de negócio?

Essa segunda pergunta serve para que, de alguma forma, os problemas gerados pela primeira pergunta sejam solucionados. O cenário de pandemia no qual sua startup ou pequena empresa está inserido neste momento é totalmente novo. Seu plano de negócio inevitavelmente irá mudar. Se os seus planos estiverem iguais aos de um mês atrás, você provavelmente está em negação.

Questione alguns pontos sobre a sua empresa: caso atue com modelo B2B, as vendas dos seus clientes caíram? Seus clientes irão fechar em breve e/ou demitir funcionários? Caso as respostas sejam sim, suas projeções de receita devem ser revistas.

A mesma dica vale se você estiver inserido no modelo B2C. Vale se questionar também sobre a posição no mercado em que seu negócio ocupa. Os clientes continuam comprando desse ramo? O fato é que nada está normal e cabe ao empreendedor estar atento a qualquer mudança.

3° Qual a duração do problema?

A crise irá perdurar por mais três meses, um ou três anos? Projetar a duração do prejuízo é uma forma de se preparar para enfrentá-lo melhor.

Caso a resposta seja três meses, comece a pensar em congelar gastos variáveis, como as contratações e viagens de pessoal. Se notar que o problema irá perdurar por mais tempo, prepare um plano B. Descubra o mínimo que sua empresa precisa para se manter viva e aposte nisso.

Supondo que a crise dure um ano: considere reduzir os gastos variáveis. Durante esse tempo, é possível que ocorram demissões e diminuição de comissões e salários, por exemplo. Além disso, encontre também uma forma de renegociar os gastos fixos. Procure mudar suas estratégias de vendas e investir pesado no e-commerce.

Quanto à possibilidade de dispensar funcionários, segue uma dica: a primeira opção a ser escolhida antes das demissões é diminuir a remuneração dos cargos mais altos (seguindo, claro, o que for permitido pela legislação). Dessa forma, é possível garantir o emprego de funcionários em níveis mais baixos. Outra dica é: caso tenha de demitir alguém, aja com compaixão. Garanta e faça o possível para que seja feito o pagamento do salário pelos próximos dois meses, pelo menos.

Novamente, é importante rever seu plano de negócios. Em uma crise como essas, tudo é possível: desde reposicionamento de produtos até a criação de novos valores.

Mas, se o planejamento for prolongado para os próximos três anos, será necessário cortar tudo que não seja estritamente essencial para a sobrevivência da startup. Estude modos de operar nos modelos do isolamento social. Explore opções de venda online e sistemas de entrega. Mais uma vez, pense em um reposicionamento de produto: adapte-se às novas necessidades criadas pela pandemia.

4° O que meus investidores farão?

Um elemento fundamental para a sobrevivência de uma empresa é o acesso ao capital. Startups e pequenas empresas devem reconhecer que seus investidores também estão inseridos no cenário da pandemia e encarando dificuldades. Investidores de capital de risco estão lutando com a questão “O que devemos salvar?”.

Como a liquidez de startups não costuma ser tão alta nos primeiros estágios, podem não estar na mira dos investidores no momento da crise. Sendo assim, prepare-se para contar com menos interesse por parte deles na análise de novas ofertas.

Em resumo a situação está assim para todos no planeta. E você precisa pensar muito bem como fará com sua clínica, hospital, escritório de advocacia, escritório de arquitetura, casa de material para construção, clínica de estética, barbearia, empresas do ramo gastronômico em geral e todos os outros segmentos comerciais existentes, como hotelarias, agencias de viagem, motéis, motoristas de vans escolares e empresas de serviços em geral.

De uma coisa é certa, tudo isso vai passar, mas pelo menos uma coisa você precisa investir, na comunicação estratégica da sua empresa, para que ela permaneça vida durante essa grande mudança de padrões de consumo em que o mundo hoje está passando. Nada será como antes!

Conte com a Agência Carcará no que for possível e necessário!! Acredite, também estamos no mesmo barco que você!!!

Conheça nossos canais sociais: InstagramFacebook e Youtube

Written by

Olá sou o CEO & Co-Founder da Agência Carcará de Publicidade em Brasília e sócio do CEO e Diretor de Criação & Co-Founder Raul Evaristo A Agência Carcará figura entre as mais importantes do DF e Brasilia. O foco da Carcará é o de promover e fidelizar a sua marca levando sua empresa a ter sucesso em Brasília e no Distrito Federal, por meio de gestão de campanhas publicitárias para matrícula escolar eficientes isso sem falar na Gestão de SEO e criação de Vídeos Promocionais.